Economia

50 dicas para economizar dinheiro para viajar

No site viajadora encontrei excelentes dicas a você. Existem muitas formas de economizar, siga nossos posts e veja qual se adequa mais a você.Aproveite para compartilhar suas dicas com a gente!

50 dicas para economizar dinheiro para viajar

São dicas para economizar dinheiro para viajar, mas úteis para a vida de forma geral, porque gastar pouco é o primeiro passo para ser livre. Em outro post já falamos sobre como administrar o dinheiro para viajar, agora listamos coisas fáceis de fazer no dia-a-dia e que garantem um dinheiro sobrando pra fazer o que a gente mais ama: cair na estrada!

Em casa:

limpar-o-banheiro-corretamente

1)   Revise os valores das contas: Se as contas de luz e gás estiverem muito altas, vale ligar para a companhia elétrica ou de gás e pedir uma revisão, para verificar se há vazamento. Isso não só reduz a conta como, mais importante, garante a sua segurança.

2)   Coloque suas contas no débito automático: Se você controla o fluxo de dinheiro entrando e saindo, é um ótimo jeito de não ter que se preocupar com eventuais multas por atraso. Em alguns casos você pode até descolar um desconto ao autorizar o débito automático.

3)   Pague à vista: Se tem alguma folga de dinheiro, vale a pena aproveitar os descontos para pagar à vista. Com o pagamento do IPTU em uma parcela só, por exemplo, você economiza uma boa grana.

4)   Peça desconto: Sempre pago à vista para ganhar descontos quando tenho que fazer compras maiores. E quando não oferecem, eu peço. Uma coisa que eu particularmente gosto é ver o preço na internet e chegar numa dessas Casas Bahia ou Ricardo Eletro da vida e pedir o preço que vi online (geralmente menor). Aí quando eles me dão, eu digo que vi pelo preço X no concorrente, e peço para me oferecerem um melhor. Quase sempre funciona!

5)   Desligue os carregadores da tomada: Quando o carregador do celular ou do notebook está conectado na tomada, mesmo sem estar ligado a nenhum aparelho, continua consumindo energia.

6)   Não deixe os aparelhos em stand-by: Televisões, rádios e microondas são alguns dos aparelhos que, ligados em stand-by quando você não está usando, aumentam o valor da conta de luz em até 20%.

7)   Use lâmpadas eficientes: Lâmpadas fluorescentes gastam muito menos energia que as incandescentes, aquelas redondinhas tradicionais. Um investimento que vale a pena.

8)   Troque seus eletrodomésticos velhos: Esse é outro caso em que se investe para economizar. Trocar aparelhos antigos por modelos mais modernos e com menor consumo de energia reduz muito o valor da conta de luz.

9)   Coloque o ar condicionado no timer: Pra quem mora em um lugar quente como o Rio de Janeiro, é quase impossível dormir sem o ar condicionado ligado no verão, o que aumenta muito a conta de luz. Uma boa ideia é programar o timer do aparelho para desligar depois de algumas horas, quando você já estiver dormindo e o quarto estiver fresquinho.

10) Não use os aparelhos na potência máxima: Isso gasta muita luz e é completamente desnecessário. A geladeira pode ficar no mínimo e o ar condicionado não precisa ficar em uma temperatura glacial, assim como o chuveiro e o secador de cabelo não precisam ser usados tão quentes.

11) Mude o plano da tv a cabo: Se você tem um daqueles planos completos, vale repensar a utilidade disso. Quanto tempo por dia passa vendo tv? Vale assinar o plano mais básico de canais (ou nenhum, se possível!), afinal, quem precisa de TV a cabo se existe Netflix (e livros, e praia, e amigos, e academia…)

12) Use os serviços da seguradora: Se você tem um seguro pra sua casa (daqueles contra incêndios e roubo, por exemplo), veja quais são os serviços que ele oferece, e use-os. O meu seguro, por exemplo, descobri há pouco tempo que oferece serviço de chaveiro, encanador, eletricista…

13) Use os serviços do seu condomínio: Se o condomínio em que mora inclui serviços como academia e ônibus, por exemplo, use-os, assim você evita gastos extras com coisas pelas quais já paga.

14) Venda o que não quiser mais: Livros, roupas, móveis e até computadores quebrados – com a Internet, hoje em dia, é possível vender qualquer coisa e ganhar algum dinheiro. Um site que usamos muito é o Enjoei: já vendemos roupas, sapatos, perfume,  bolsas e várias outras coisas nele. É ótimo e normalmente vende tudo super rápido.

15) Compre usado: Comprar produtos de segunda mão é uma ótima maneira de economizar com eletrodomésticos e móveis. Você pode, por exemplo, ir no brechó do Exército da Salvação na sua cidade, ou comprar online em sites como o Mercado Livre e OLX. No Enjoei também é possível encontrar itens (de todos os tipos) semi novos e em ótimo estado.

16) Pegue emprestado: Se você precisa de algo que só vai usar uma ou duas vezes, por exemplo, não vale a pena comprar: pegue emprestado com um vizinho ou amigo. E prepare-se para emprestar o que tem também, assim todo mundo economiza.

17) Faça você mesmo: Parece uma coisa óbvia, mas se você pagar uma faxineira 2 vezes por mês, vai gastar pelo menos R$100. Limpar a casa é um saco, mas pense, no final do ano, são R$ 1.200 de economia. Além disso, tente você mesmo pendurar aquele quadro, trocar a resistência do chuveiro, pintar a casa… quanto mais autossuficiente você for, mais vai economizar.

Na hora de comer:

hora de comer Viajadora

18) Reduza as refeições na rua: Comer em restaurantes com frequência sai caro e pouco saudável. Cozinhar em casa é mais barato e você ainda sabe exatamente o que está comendo, o que é ótimo para quem faz dieta.

19) Pesquise preços de mercado: É chato e cansativo, mas pesquisar qual o mercado mais barato pode fazer uma diferença de quase R$ 200 no fim do mês. Eu que moro no Rio, por exemplo, fiz uma pesquisa comparando os preços do Zona Sul e do Mundial e a diferença é gritante. A Ruth de Aquino, da Época, até escreveu uma crônica interessante sobre isso.

20) Use os descontos do mercado: Alguns mercados dão bons descontos para os clientes que se cadastrarem, como o Zona Sul, o Pão de Açúcar e o Prix, por exemplo. Verifique se o seu mercado faz isso e cadastre-se também.

21) Compre na feira: Todo bairro tem uma feira livre por perto pelo menos uma vez por semana. É o melhor lugar para comprar legumes, frutas e verduras. Os preços são mais baixos, dá pra pechinchar e os alimentos são mais frescos e gostosos.

22) Compre aos poucos: Sou pão-duro e chata, vou ao mercado umas quatro vezes por semana e compro tudo aos poucos. Isso não só porque quando se compra demais as coisas estragam, como, principalmente, porque dá para aproveitar as promoções diferentes que toda hora os mercados fazem.

23) Coma tudo que está na geladeira: Uma coisa que a gente aprende quando vai morar sozinho é que comida não estraga com a facilidade que achávamos quando morávamos com nossos pais (e eles pagavam tudo). Então, praticamente tudo dá pra comer até um tempo depois da validade. A regra é: se não está verde e o cheiro não está muito ruim, dá pra comer. Moro sozinha há mais de cinco anos e nunca fui parar no hospital por causa disso.

24) Tente as marcas substitutas: Você cresceu acostumado a comer comidas das suas marcas favoritas que a mamãe comprava. Mas agora o dinheiro está curto e é hora de experimentar as versões mais baratas de comida. Sempre compro produtos das marcas dos supermercados, que costumam ser bons e mais baratos do que as marcas conhecidas.

25) Faça substituições inteligentes: Você precisa mesmo comer filé de salmão ou dá para comer um filé de frango? O peito de peru custa muito mais que o presunto sem gordura, não vale a pena trocar? Preste atenção ao que está comprando e veja se não pode trocar por opções de alimentos mais baratos.

26) Corte os supérfluos: Frescura te faz gastar muito dinheiro à toa, então, na medida do possível, evite aqueles supérfluos que aumentam muito o valor da conta, como queijos chiques e bebidas caras (a Kovak, por exemplo, é tão boa quanto a Smirnoff e custa bem menos, acredite… rs).

27) Se não comer, congele: Se começar a quase estragar ou você for viajar e não for dar tempo de comer, congele. Dá pra fazer isso com quase tudo, principalmente pães e frutas, que você pode usar para fazer vitaminas bem geladas depois (eu adoro, tenho um estoque de morangos!).

28) Leve lanches para o trabalho: É mais saudável e barato do que todo dia comprar um salgado no boteco da esquina. Eu compro um estoque de coisinhas pra deixar lá, como frutas oleaginosas e barras de proteína, e todo dia me planejo pra levar alguma coisa mais substancial pro lanche da tarde, como sanduíches, saladas, sobras do jantar, legumes cozidos no vapor, etc.

29) Seja farofeiro: Não gaste com besteiras quando for à praia, leve suas próprias bebidas e lanches. Neste post separamos boas dicas para ir à praia sem gastar muito.

30) Seja fiel: Os cartões de fidelidade são uma ótima oportunidade de “ganhar” almoços nos lugares em que come com frequência. Pergunte se os restaurantes perto do seu trabalho têm essa opção. No que eu como, por exemplo, ganho uma refeição a cada dez carimbos de visitas.

31) Compre suplementos pela internet: Essa é pra turma da maromba, que sabe bem como sai caro tomar suplementos alimentares com disciplina todo mês. Como é um mal necessário, compro tudo pela internet, em sites gringos como o Bodybuilding.com ou em sites brasileiros de preço bom, como o Madrugão Suplementos e o Natue. Ou então, para quem tiver oportunidade de viajar ou conhecer alguém que traga, a boa é comprar tudo no exterior e fazer um estoque em casa… sai muuuito mais barato.

Na vida:

como-economizar-no-supermercado

32) Cuide da beleza em casa: Toda mulher sabe o terror que é pagar todo mês depilação, manicure, hidratação, fazer as sobrancelhas e seja lá o que mais a gente inventa pra gastar dinheiro e ficar bonita. Minha dica é simples: pare. Pinte as próprias unhas, hidrate seu próprio cabelo, se depile sozinha… faça em casa o máximo possível e você vai ver a economia.

33) Não pague caro para malhar: Muita gente paga academias caras e acaba não fazendo nenhuma das aulas que aumentam tanto o preço. Se seu negócio for só musculação e ergometria, experimente uma daquelas redes que são baratas, mas oferecem aparelhos novos e a possibilidade de malhar em qualquer uma das filiais no país (ótimo para quem viaja!).

34) Dê uma chance aos sites de compras coletivas: O grande problema desses sites, pra mim, é que você acaba comprando um monte de coisa que nem chega a usar só porque estavam baratas. Mas sabendo comprar com parcimônia e controlando a validade dos cupons, dá pra fazer uma boa economia com restaurantes e cabeleireiros, por exemplo.

35) Reveja seu plano de celular: Hoje em dia todo mundo usa WhatsApp e outros aplicativos para troca de mensagens gratuitas, as ligações telefônicas caem cada vez mais em desuso. Por isso, reveja seu plano de celular e reduza o máximo possível, você nem vai sentir falta.

36) Pegue carona, ande de bicicleta, vá a pé: Carro é uma das despesas mais altas que você pode arranjar. Precisa mesmo? Nem preciso comentar a economia que é se livrar do carro e usar meios alternativos de transporte, né.

37) Pense mil vezes antes de comprar: Salvo exceções, não compre nada de primeira, se dê sempre 24h para pensar. Pesquise muito. Viu uma roupa linda naquela loja? Vai pra casa, pensa de novo e, se realmente tiver gostado, volta no dia seguinte e compra. Você vai ver que em 90% das vezes acaba não voltando. Para evitar compras por impulso, evite passear em shoppings, saia para almoçar sem o cartão de crédito (isso era um problema pra mim, meu trabalho é cercado de lojas de roupas lindas), não visite sites de compras online… evite a tentação o máximo possível.

38) Cancele cartões de lojas: Eles são um convite a compras desnecessárias. Não tenha um monte de cartões de crédito, opte por um só (de preferência o que te dê mais milhas e tenha menos taxas) e controle muito bem as despesas nele.

39) Use a biblioteca, troque livros nos sebos: No sebo perto da minha casa, fiz um esquema com o dono de levar os livros que já li e trocar por outros, pagando só uma diferença. Com isso, minha casa não fica entulhada e sempre tenho livros pra ler. Também uso a biblioteca do Centro Cultural Banco do Brasil e eles têm inclusive lançamentos, que você pode emprestar gratuitamente. Experimente, conheça as bibliotecas perto da sua casa, você vai se surpreender com as possibilidades. E isso, claro, sem falar das infinitas opções de e-books que você pode baixar na internet e do site Estante Virtual, que reúne o acervo da maioria dos sebos do Brasil.

40) Separe um valor específico para cada gasto: A gente também é filho de deus e precisa de lazer. Mas para não perder o controle, estabeleça o valor que você pode gastar por mês com cada atividade e faça o que for preciso para se manter abaixo desse limite.

41) Aproveite os programas de fidelidade e descontos: Assim como os restaurantes e mercados, muitas lojas e postos de gasolina também têm programas de fidelidade e descontos, como a Saraiva e a Ipiranga. Cadastre-se em tudo que puder, inclusive no Multiplus, que junta boa parte desses programas e os pontos podem ser trocados por passagens aéreas.

42) Faça programas baratos: Esportes ao ar livre, praia, trilhas, piqueniques, exposições, shows de música ao vivo… toda cidade oferece inúmeras opções de programas gratuitos ou baratos que podem, muitas vezes, ser bem mais legais do que os pagos. Fique de olho na programação de cada cidade na internet, o site Catraca Livre é um que dá várias dicas de programas legais e gratuitos em diversas cidades.

43) Reorganize seu armário: Às vezes a gente acha que não tem roupa, mas não cabe mais nada no armário. O que tem lá dentro afinal? Uma pesquisa gringa mostrou que as pessoas, no geral, usam apenas 20% das suas roupas em 80% do tempo. Então tire um dia para reorganizar suas roupas, experimentar, testar novas combinações… e o que não quiser, passe adiante. Você vai ver que dessas arrumações acabam reaparecendo roupas e sapatos legais que você nem lembrava que tinha.

44) Faça o esquenta: Quem sai à noite sabe que beber em boates e bares está pela hora da morte. Então, antes de ir para aquela festa, reúna seus amigos em casa e beba antes de sair. Aí você sai alegrinho, curte e economiza. Ou fica muito ruim e acaba dormindo sem nem ir pra festa, e economiza ainda mais. Haha

45) Leve sua bebida: Mas se sair, não esqueça de levar aquela garrafinha de vodka marota disfarçada de garrafa d´água na bolsa. Aí chega no bar/boate, pede um suco, mistura a vodka na encolha e tchã, economia! (mas tem que ver se o lugar não revista na entrada, lógico)

46) Compre genérico: Se seu médico não fizer nenhuma objeção aos medicamentos genéricos, dê sempre preferência pra eles, bem mais baratos.

47) Peça amostras grátis: Por falar em médicos, eles recebem muitas amostras grátis dos laboratórios e elas ficam lá paradas na gaveta. Então quando seu médico te receitar algum remédio, seja cara-de-pau e pergunte se eles não têm amostras. Muitas vezes funciona… é o caso, por exemplo, de ginecologistas e pílulas anticoncepcionais, oftalmologistas e colírios, etc.

48) Crie barreiras para comprar: Torne tudo mais difícil: cancele sua inscrição nos sites de anúncios, pare de seguir perfis de lojas no Facebook, opte por caminhos com menos lojas e por aí vai.

49) Cancele assinaturas de jornais, revistas e sites: Eu nem deveria falar isso sendo jornalista (coleguinhas, não me apedrejem!), mas se está precisando economizar, não tem porque pagar por notícias se quase tudo está disponível na internet hoje em dia.

50) Pague suas dívidas no início do mês e antes de gastar com qualquer outra coisa: Evite os juros o máximo possível, já que eles podem representar uma parcela assustadora dos seus gastos.

Seguindo essas dicas à risca, com certeza vai conseguir economizar para viajar. Ser pão-duro economicamente responsável é legal, depois que você se acostuma, vira um hábito e você quase nem sofre sente mais, acredite.

Mas e as suas dicas, gostaria de compartilhar alguma com a gente?

 

 

 

fonte: Site Viajadora

Comentários ( 0 )

    Deixe um comentário:

    Leave A Comment

    Your email address will not be published. Required fields are marked *